terça-feira, 25 de abril de 2017

JERRY ADRIANI E RAUL SEIXAS NA MÁQUINA DO TEMPO

Jerry Adriani e Raulzito e os Panteras. Meados da década de 1960. Raul Seixas (1° à esquerda)

sexta-feira, 7 de abril de 2017

JIRAU DOS CÉLEBRES - ANTÔNIO FIRMINO

ANTÔNIO FIRMINO: O PREDILETO DO IMPERADOR 


Antônio Firmino Monteiro (Rio de Janeiro 1855 – Niterói 1888), pintor fluminense, teve uma infância pobre e logo foi trabalhar para dar apoio ao sustento da família. Passou por algumas profissões (caixeiro, encadernador e tipógrafo) antes de entrar, tardiamente, para a Academia Imperial de Belas Artes. Vitor Meireles, Agostinho José da Mota, Pádua e Castro e Zeferino da Costa foram seus mestres na Academia. Firmino era um excelente pintor de paisagens e cenas pitorescas do Rio de Janeiro em meados do século XIX. Em 1880, com a especial ajuda do Imperador D. Pedro II, viajou à Europa, voltando logo depois para concorrer a uma cadeira de Paisagem, Flores e Animais da Academia, ficando em 2° lugar. Entre 1879 e 1884 se apresentou nas Exposições Gerais de Belas Artes. Recebeu, na primeira, uma Segunda Medalha de Ouro e, na seguinte, a comenda de Cavaleiro da Ordem da Rosa, por uma participação que incluía O Vidigal, Um vendedor de balas e jornais, Fósforos!, Camões no seu leito de morte e várias paisagens. Firmino, também lecionou pintura na Escola de Belas Artes da Bahia, e perspectiva e teoria da sombra no Liceu de Artes e Ofícios da Bahia, em Salvador, onde permaneceu por um breve período. Antônio Firmino é um artista menos conhecido dentro de nossa cultura, no entanto seu talento artístico o coloca entre os maiores pintores brasileiros de todos os tempos.


 

Paisagem (1885) De Firmino Monteiro no Museu Afro Brasil, São Paulo.