segunda-feira, 18 de janeiro de 2016

A LIGA DOS TROVADORES: ADELMAR TAVARES

AS TROVAS

Não sei porque, quando canto,
por mais alegre a canção,
tem uma gota de pranto
que vem do meu coração.


*

Oh lindos olhos magoados,
de tanta melancolia...
- Da tristeza desses olhos
é que vem minha alegria.


*

Vou vivendo a minha vida,
como Deus quer e consente.
- Sou como a folha caída,
levada pela corrente.



O TROVADOR



Adelmar Tavares da Silva Cavalcanti (Recife 1911 – Rio de Janeiro 1963) poeta, educador e jurista pernambucano, foi um dos maiores trovadores brasileiros, e tinha nesse estilo poético um dos seus grandes méritos. O poeta pertenceu à Academia Brasileira de Letras, ocupando a cadeira nº 11, tendo sido empossado em 1926. Quando foi chamado ao céu dos trovadores, Adelmar contava 75 anos. 



 

quarta-feira, 6 de janeiro de 2016

SONETO INVERTIDO

Enzo Carlo Barrocco



















 
O verso e o reverso do poema
que se movem sobre o dorso da palavra
despertam-me de um sono amargurado

momento que me envolve e que me trava.
Não confio nesse sentimento estranho
futuro que nos meus olhos se encrava.

Pretendo no silêncio desta noite
livrar-me dessa dores insuportáveis
que encontro, vez por outra, estacionadas
às margens de estradas intermináveis.

No entanto essas lutas indeléveis
e todo o meu esforço consumido
deixo que caminhem livremente
à luz deste soneto invertido.

segunda-feira, 4 de janeiro de 2016

FLORES DE TRACUATEUA - CANTO Nº 19






VSEVOLOD PUDOVKIN NA SEARA DOS NOTÁVEIS





Vsevolod Ilarionovitch Pudovkin (Penza 1895 – Moscou 1953) cineasta russo iniciou sua carreia no teatro com Lev Kuletchov, um dos maiores cineastas da antiga União Soviética. Começou com documentários a partir da década de 1920, fase a que se seguiu a da realização de três obras-primas o que lhe valeu o título como um dos mais importantes cineastas ao lado de Eisenstein. O filme “O Herdeiro de Gengis Khan", de 1928, se tornou famoso no mundo com o título “Tempestade Sobre as Ásia”. O último filme que rodou foi  “Almirante Nahimov”, de 1947. A preparação minuciosa dos atores e a significação simbólica dos seus gestos era uma das características primordiais do cineasta. A concentração na montagem, pela qual obtinha efeitos inesperados, também era uma de suas facetas. A técnica refinada de Pudovkin deu a ele uma inegável reputação.