terça-feira, 29 de outubro de 2013

CONSIDERAÇAÇÕES SOBRE UMA BREVE MANHÃ

Enzo Carlo Barrocco






















Em toda a extensão do dia
as paisagens se abrem
intocadas;
num tempo parado
nenhuma fuga
pelas largas estradas de luz.

O sol caminha
entre um zodíaco aparente.

A manhã entrega
para a tarde
uma chuva

que se arma sobre o mar.


quinta-feira, 24 de outubro de 2013

COM BLOTA JÚNIOR POR OUTROS CAMPOS DE TRIGO
















por Enzo Carlo Barrocco

José Blota Júnior (Ribeirão Bonito 1920 – São Paulo 1999), advogado, locutor, apresentador e produtor de televisão, primeiramente tentou entrar para o rádio, mas foi reprovado por cinco vezes, até ser aceito na Rádio Cosmo, hoje Rádio América. Depois disso rodou por algumas rádios até chegar na Record, tendo trabalhado desde comentarista esportivo até diretor da emissora sendo, também, locutor da "Voz da América"da NBC de Nova York. Quando da inauguração em 1953, da TV Record, apresentou o show inaugural junto com sua mulher Sonia Ribeiro. Foi também Diretor Superintendente da Radio Pan-Americana (Jovem Pan) e Vice Presidente da fábrica de bicicletas Caloi.Portanto um homem de um ecletismo fabuloso. Na carreira política foi deputado estadual por São Paulo por três legislaturas e deputado federal de 1975 a 1979. Na Bandeirantes, Blota Júnior e sua esposa, a radialista Sonia Ribeiro, eram os apresentadores oficiais do Troféu Roquette Pinto (do qual foi criador), "Show do Dia 7" e "Festivais da Música Popular Brasileira" (1966-1971), na TV Record, atual Rede Record. Trabalhou também na copa do Mundo de 1974, na Alemanha e nos Jogos Olímpicos de 1988, na Coreia do Sul, como o narrador esportivo. Na Bandeirantes, apresentou também, o "Programa Blota Júnior" e comandou o "Fogo Cruzado", programa de debates políticos. Um de seus últimos trabalhos na TV foi no programa "Gente que Brilha", exibido pelo SBT até 1997. A televisão brasileira deve muito a Blota Júnior, um verdadeiro ícone da  TV nos anos de 1960 e 1970 dando uma enorme contribuição para esse veículo de comunicação no Brasil.  

terça-feira, 15 de outubro de 2013

LINHAS BARROQUIANAS - POEMAS DE UM VERSO SÓ- Nº 5

Enzo Carlo Barrocco



UM VERME
Falas em grandeza, mas tens a alma pequena!


A VIOLÊNCIA GRASSA
O que te digo não te livrará do perigo.


EVOCAÇÃO
A luz evoca o dia. Um diamante... um diamante...


SINFONIA
Todas as cigarras no verão. Sinfonia exasperável.


A REVOLUÇÃO ROSA-CHOQUE
As mulheres armadas; alarmadas;  desalmadas; mal-amadas. 


terça-feira, 1 de outubro de 2013

PARA NÃO ESQUECER QUE TE ESQUECI

Enzo Carlo Barrocco


Procuro tuas mãos entre os refolhos
da saudade que me restou,  branca,
o gume inox da lembrança arranca
do meu peito fragmentos vários.

A rua nem me causa mais espanto,
já nem me causa medo teu desejo,
ando muito só, eis que hoje vejo
tua boca assombrando meu caminho.

Entretanto paro sobre as vigas
deste sonho que se foi na espuma,
mais à frente avisto vasta bruma

do que me restou tua meiguice;
a nesga de luz que em mim se oculta
mais e mais tua lembrança avulta.