terça-feira, 29 de março de 2011

A LANTERNA DOS LUMIÈRE - VIAJANDO A MARTE COM SCHWARZENEGGER



Resenha

por Enzo Carlo Barrocco



VINGANÇA NO PLANETA VERMELHO






FILME: O VINGADOR DO FUTURO (Total Recal) Ficção Científica – EUA – 1990 = 1h48. Direção: Paul Verhoeven. Com: Arnold Schwarzenegger, Rachel Ticotin, Shoron Stone, Ronny Cox, Michael Ironside, Marshal Bell, Michael Chapion, Mel Johnson Jr., Rosemary Dunsmore.

Um filme, simplesmente, sensacional. Efeitos visuais belíssimos, excelente roteiro, atores afinadíssimos. Sharon Stone está ótima num os filmes mais caros da história. Quaid (Schwarzenegger) é um operário que descobre ser um agente desmemoriado que se vê obrigado a voltar a Marte com a finalidade de descobrir por que fora mandado a Terra com outra identidade. Você não vai querer assistir a este filme apenas uma vez. Oscar de efeitos visuais com justiça.



sexta-feira, 25 de março de 2011

O MUNDO NO SEU CONTROLE – UM "ENSAIO" EM ALTO NÍVEL

Croniqueta

por Enzo Carlo Barrocco




"Ensaio" é um programa da TV Cultura de São Paulo levado ao ar aos domingos em dois horários, às  05h00 e 23h00 com a direção impecável de Fernando Faro. Salvo programas como este, a TV brasileira está, praticamente, no fundo do poço. Embora a realidade seja bastante sombria, “Ensaio” está aí, em meio a tantas asneiras. O programa traz excelentes artistas do mundo da  música, consagrados nacionalmente, por vezes, numa conversa bastante intimista, o que dá tranqüilidade ao convidado. No momento, os horários reservados para o “Ensaio” são  demais ingratos, no entanto a direção da emissora poderia estudar a possibilidade de um horário mais acessível o que seria de grande valimento ao telespectador que foge do banal.

terça-feira, 22 de março de 2011

ARTHUR SCHOPENHAUER NO DIÁRIO DOS PENSADORES

"Quando a alegria se apresenta devemos abrir–lhes todas as portas, porque jamais é inoportuna".


- Arthur Schopenhauer  (Danzing 1788 – Frankfurt 1860) filósofo alemão


ESTANTE DE ACRÍLICO - LIVROS SUGESTIONÁVEIS



Resenhas

Livros


Título: A Menina do Arco-Íris (Infantil)
Autora: Marina Colasanti
Edição: Rocco Editora
A bela história de uma menina chamada Virgínia que caiu numa xícara de leite e descobriu um mundo fascinante. As ilustrações do livro são da própria autora.

***

Título: História de Robôs – Volume I (Contos)
Vários Autores (organizado por Isaac Asimov)
Edição L & PM Pocket
Uma obra-prima organizada pelo genial Isaac Asimov. Oito autores, exímios contistas de ficção científica. Uma antologia extraordinária.

***

Título: Contos da Amazônia
Autor: Ivanildo Ferreira Alves
Edições: Editora Cejup
O caboclo amazônico e sua floresta, através do vigoroso estilo de Ivanildo Alves que eu conhecia apenas como Secretário de Estado do Governo do Pará. Atente para a linguagem puramente paraense. 


sexta-feira, 18 de março de 2011

A POESIA GOIANA DE VALDIVINO BRAZ




O POEMA


OS PORTAIS DE AURORA

Ó estúpida,
Desgraçada lucidez!
Quantas auroras são em seu relógio?

A hora clara e o sol,
ovo estrelado
na frigideira do dia.

Tartarugas
— tártaras rugas —
num rolo de tarugos.

Este é meu chão.
Devo envelhecer-me ao sol,
apaziguar meu coração.



E O POETA

 






Valdivino Braz, goiano de Buriti Alegre, poeta, contista e jornalista, no convés da fragata desde 1942,  atualmente membro da União Brasileira de Escritores é um emérito participante de concursos literários nos quais tem alcançado excelente s resultados. A poesia de Valdivino, envolvente e consistente, marca a posição da literatura contemporânea da região Centro-Oeste dentro do contexto literário brasileiro.


quinta-feira, 17 de março de 2011

LUAS DE AJURUTEUA - CANTO Nº 09

Enzo Carlo Barrocco


O SORRISO DE MARIA
Eram seis horas da tarde
Que, belíssima, morria;
Surgiu na paisagem gris     
O sorriso de Maria.

TRABALHO INFANTIL
São quatro crianças sujas
Que num sol de meio-dia,
Sob olhares adultos,
Lidam à carvoaria.

VESTIBULAR PRA BANDIDO
Diego mechou de louro
o seu cabelo horrendo,

Vestibular pra bandido
Por certo ele está fazendo. 


GRETA E GRELO
Que negra linda a Janice,
Estrogênio em desabrocho;
A greta uma berinjela,
O grelo todinho roxo.

DEFESA PARA A TROVA ACIMA
Não há nada nessa trova
Que perturbe a sua fé;
“Greta” não é palavrão,
E “grelo” também não é.




terça-feira, 15 de março de 2011

O MUNDO NO SEU CONTROLE – JAPÃO: AO VIVO, A TRAGÉDIA DE UM POVO.


Croniqueta

por Enzo Carlo Barrocco

 Terremoto no Japão: o 7° maior da história

 
É de se lamentar o que aconteceu no Japão semana passada. Um terremoto de 8,9 na Escala Richter, acompanhado de um tsunami, arrasou a região nordeste do país matando milhares de pessoas e deixando tantas outras desabrigadas, desalojadas e assustadas, sem falar nos riscos de explosões dos reatores atômicos localizados nos locais mais afetados pelo fenômeno. O mundo ficou estarrecido com as imagens transmitidas pela televisão para diversos países ao redor do planeta mostrando ondas violentíssimas arrasando cidades, vilarejos, estradas, derrubando casas, tombando navios, arrastando carros como se fossem feitos de isopor; pessoas desesperadas, um verdadeiro caos. Parte do país ficou sem comunicação, sem água potável, sem energia elétrica e, o que é pior, sem comida. Esse terremoto foi a pior tragédia natural em toda a história nipônica rivalizando, inclusive, com as bombas atômicas jogadas nas cidades de Hiroshima e Nagasaki na Segunda Guerra Mundial. Rezemos para que os nossos irmãos japoneses se refaçam desse drama, cujas imagens ficarão gravadas, lamentavelmente, para sempre na memória daqueles que a presenciaram. 


sexta-feira, 11 de março de 2011

JOSÉ ILDONE NA ESTANTE VIRTUAL



LIVRO: Chão D´Água (3ª Edição) poesias
Autor: José Ildone
Editora: Cultural Cejup (1988)

      Ildone: O ilustre poeta de Vigia de Nazaré

“Chão D´Água” é a alma do povo da região do Salgado Paraense. José Ildone, paraense de Vigia de Nazaré, no convés da fragata desde 1942,  está irreparável e a Academia Paraense de Letras, no seu concurso de poesias denominado “Prêmio Vespasiano Ramos”, de 1979, fez jus ao premiar “Chão D´Água” com o 1º lugar. A poética amazônica nos versos deste livro nos mostra a densidade da alma de José Ildone que merecidamente ocupa a cadeira 31 da Academia Paraense de Letras, eleito que foi em 22 de outubro de 1988. Esta é a terceira edição de “Chão D´Água”. 


quinta-feira, 10 de março de 2011

A POESIA AFEGÃ DE KHWAJA ANSARI




O POEMA

Podes caminhar na água?
Não fizestes mais do que uma palha.
Podes voar no ar?
Não  fizeste mais do que um mosquito.
Conquista o teu coração
- E pode ser que te
Tornes alguém. 



O POETA

Khwaja  Abdullah Ansari (Herat 1006 – Idem 1088), poeta afegão, escreveu, além de poesia, textos sobre misticismo islâmico e filosofia. Segundo alguns estudiosos da obra de Ansari, em seu tempo não houve um intelectual afegão da importância do poeta. Parábolas e legendas são aspectos comuns no trabalho deste escritor, cujo túmulo, ainda hoje, é um lugar de peregrinação para milhares de admiradores. Ansari, que viveu há mais de mil anos, é lembrado nos tempos de hoje como um dos grandes poetas asiáticos.


FLORES DE TRACUATEUA - CANTO Nº 01

Enzo Carlo Barrocco


DO ETERNO IMPEDIMENTO
Escrever sob encomenda,
ai! que impedimento vário,
é como a cana à moenda
girando ao lado contrário.

LÁBIOS POENTES
Sob teus lábios poentes
por mais que a lua descambe,
os meus lábios, língua e dentes
mordem, sugam, sorvem e lambe.

PARA DIAS MELHORES
Em tudo vejo a certeza
que dias melhores vêm,
meu verso por sobre a mesa
espera não sei por quem.

ALMA BRANCA
Para quem me fala rude
tenho luas no armário,
recolhi o mais que pude
do meu peito branco-agrário.

SONHOS NUBLADOS
Quantas coisas eu faria
com os meus sonhos nublados
que hoje, cedo do dia,
deixei em casa, acamados.

sexta-feira, 4 de março de 2011

ARI LOBO E A MÚSICA NO JIRAU


Título: Ari Lobo e Seus Grandes Sucessos
Intérprete: Ari Lobo
Gravadora: Brasis (1997)


Roberto Stanganelli, que fez várias composições para Ari, reuniu neste trabalho 22 músicas deste que foi um dos maiores cantores paraenses. Ari Lobo é referência na MPB e mereceu neste CD uma momentânea saída do ostracismo no qual se encontrava. Várias canções mais conhecidas não foram incluídas neste trabalho, o que é de se lamentar, haja vista a variedade de grandes sucessos ao longo de sua carreira. Eu Vou Pra Lua (Ari Lobo – Luis Boquinha), As Moças de Hoje (Ari Lobo), Eu Sou de Belém (Ari Lobo – Péricles Sales) e a conhecidíssima Súplica Cearense (Gordurinha – Netinho) é o que há de melhor. As músicas não foram gravadas nas versões originais o que é, também, de se lamentar. O que não se pode discutir é o documento que esse CD representa. 


GERMINAL

Enzo Carlo Barrocco



As portas abrem-se, surge volátil
desavisada
estrela que em mim procria luz.

Quem poderá desacendê-la? Fácil
madrugada
que sossegada supus.

Minha mente, pois que tátil,
enluarada,
esparge nesta lauda mel e pus.

terça-feira, 1 de março de 2011

RIMBAUD: UM GÊNIO NO JIRAU


Da mente genial de Arthur Rimbaud, poeta francês
Estrela da Natividade: Charleville 1854 
Cruz da Eternidade: Marselha, 1891
 
 
 
No Cabaré-Verde
às cinco horas da tarde
 
Depois de oito dias, larguei as botinas
Pelo caminho. Eu entrei em Charleroi.
— No Cabaré-Verde: pedi torradas finas,
Manteiga e presunto, que é frio o lugar.
 
Feliz, estiquei as pernas sob a mesa
Verde: e contemplei os toscos motivos
Da tapeçaria. — E foi uma beleza
Quando a vi, enormes tetas, olhos vivos,
 
É ela! Não é um beijo que a apavora!
Risonha, trouxe a refeição na hora,
O presunto tostado, num belo prato,
 
O presunto róseo e branco perfumado
Pelo alho — e encheu-me o copo ávido
De espuma brilhante como um raio de sol.