segunda-feira, 23 de novembro de 2009

BERNARDO GUIMARÃES NA ESTANTE VIRTUAL

por Enzo Carlo Barrocco

Livro: A Escrava Isaura (Romance)
Autor: Bernardo Guimarães
Edição: Editora América do Sul Ltd.






O período romântico produziu "A Escrava isaura" romance de cunho abolicionista que retrata a brutal opressão que os negros e mestiços sofriam nos idos do século XIX.

sexta-feira, 20 de novembro de 2009

AS ESPORAS DE SATANÁS


Conto


por Enzo Carlo Barrocco




Catarino não gostava, em hipótese nenhuma, de um ex-vizinho que emprestara dele, certa feita, mil reais sem jamais ter havido pago. O calhorda mudara-se há tempos para o Bananal, colônia no extremo leste do município. Quando soube pela boca solta de seu cunhado Antônio que o ex-vizinho havia partido desta para uma melhor, resmungou: a essa hora ele já está por baixo das esporas de satanás...



SUPERNOVA


Enzo Carlo Barrocco




Deus aponta o dedo
para uma
estrela
e ela explode.
Eis Sanduleack
luz quebrada
do Cosmos.

Um dia Ele
apontará o dedo
para o
sol.

Então Deus dará uma
risada longa
e criará o inferno
num raio de um trilhão
de quilômetros.

segunda-feira, 16 de novembro de 2009

A LANTERNA DOS LUMIÈRE – ANDRIAN PAUL EXORCIZA OS FANTASMAS


AS VISAGENS AMERICANAS






ESPÍRITO DA FLORESTA (LOST COLONY) – Suspense. EUA. 2007. 95 min. Direção Matt Codd. Com: Adrian Paul, Frida Farrell, Rhett Giles, Michael The, Mari Mascaro, Alex MacArthur, George Calil.


No final do século XVI colonizadores ingleses chegam a uma ilha no estado americano da Virgínia. Descobrem , no entanto, que a ilha é mal-assombrada e fatos inexplicáveis se iniciam. O fato é que o diretor Matt Codd exagerou na dose no que se refere as cenas dos espíritos. O filme tem bons momentos e um desempenho acima da média da Atriz Frida Farrell. Lost Colony poderia ter sido melhor, mas a visão exagerada de Codd tirou credibilidade do filme. Mas, caso você tenha oportunidade, confira.



sexta-feira, 13 de novembro de 2009

AS SEMENTES

Enzo Carlo Barrocco



As sementes sob o sol,
sob um céu claro
os eitos necessitam de água:

a esperança do lavrador;
os brotos teimam em despontar.
A umidade é a salvação

para quem trabalha aqui.
Agora, meu bom homem,
o que resta é esperar.

quarta-feira, 11 de novembro de 2009

A TENDA DOS BLOGUEIROS - TWITTERATURA

Camargo

Quase imóvel, o médico segurava a radiografia contra a luz. "Por que o silêncio, doutor?" "Esse é o eclipse mais belo que já vi."

Do Blog da Prolixa

http://twitteratura.blogspot.com/2009/09/camargo.html



segunda-feira, 9 de novembro de 2009

LINDANOR CELINA NA ESTANTE VIRTUAL


por Enzo Carlo Barrocco


Livro: O Diário da Ilha (Crônicas)
Autora: Lindanor Celina
Edição: Cejup




As crônicas inigualáveis, meigas, ternas e eternas com o singular estilo de Lindanor. A clareza é o que leva o leitor ao ponto final.

sexta-feira, 6 de novembro de 2009

A POESIA PORTUGUESA DE ADOLFO CASAIS MONTEIRO


O POEMA

AURORA
poesia não é voz - é uma inflexão.

Dizer, diz tudo a prosa. No verso
nada se acrescenta a nada, somente
um jeito impalpável dá figura
ao sonho de cada um, expectativa
das formas por achar. No verso nasce
à palavra uma verdade que não acha
entre os escombros da prosa o seu caminho.
E aos hom
ens um sentido que não há nos gestos nem nas coisas:
vôo sem pássaro dentro.

O POETA


Adolfo Casais Monteiro (Porto 1908 – São Paulo 1972) poeta, romancista, ensaísta e crítico literário português, notabilizou-se pelo engajamento político que custou a ele a proibição à docência nas universidades lusitanas. Adolfo, por conseguinte, acabou por se instalar no Brasil tendo lecionado em universidades do Rio de Janeiro e São Paulo.Certa época, Adolfo teceu duras críticas ao Concretismo, tendência poética surgida em meados do século passado no Brasil.





TEMPERANÇA


Enzo Carlo Barrocco




Em todas as circunstâncias

abre tua alma

mesmo que estejas

entre a miséria

e o lodo.


Pouco a pouco notarás,

então,

uma luz acendendo

ante a tua alma

que se abriu.


Nunca de aterroriza,

mantém a tua calma!

Os obstáculos, caro amigo,

foram feitos, justamente,

a fim que pudéssemos galgá-los.



quinta-feira, 5 de novembro de 2009

A TENDA DOS BLOGUEIROS - TONHO FRANÇA

Canto I

Tonho França

Vi em sangue os pulsos da virgem
Cortado por navalhas de rosários e conchas
Dos seus pés sem vida, brotavam brumas de hóstias azuis.

Eram vermelho-uva os lábios da virgem
Tinha no hálito a plumagem galopante dos ventos
E cabelos que geravam leopardos e esfinges gregas

Seus olhos guardavam o canto das planícies e dos rios
E desde o princípio era ali que as noites se alimentavam


Do Blog do Tonho França

http://www.tonhofranca.com.br/poesias/body.php?id=3




quarta-feira, 4 de novembro de 2009

O DIÁRIO DOS PENSADORES - PÁGINA 43


Mulher bonita é aquela que briga pela vontade de viver.

- Tizuka Yamazaki (Porto Alegre 1949) telenovelista, produtora e

cineasta gaúcha


O universo é uma harmonia de contrários.

- Pitágoras (Samos 560 – Idem 480 a C.) filósofo grego


É necessária uma mente fora do comum para tentar observar o óbvio.

- Alfred Whitehead (Ramsgate 1861 - Cambridge 1947) filósofo inglês


É pequeno o número de pessoas que vêem com seus próprios olhos e pensam por suas próprias mentes.

- Albert Einstein (Ulm 1879 – Princenton, EUA 1955) físico americano nascido na Alemanha


A sociedade é, em todos os lugares, uma conspiração contra a personalidade de seus componentes.

- Ralph Waldo Emerson (Boston 1803 – Concord 1882) poeta, filósofo e ensaísta americano


O prazer é o primeiro dos bens. É a ausência de dor no corpo e de inquietação na alma.

- Epicuro (Samos 341 – Atenas 270 a C.) filósofo grego


A maioria das pessoas são como alfinetes: suas cabeças não são o mais importante.

- Jonathan Swift (Dublin 1667 – Idem 1745) poeta e romancista irlandês


A admissão da propriedade privada prejudicou o individualismo ao confundir o homem com o que ele possui.

- Oscar Wilde (Dublin 1854 – Paris 1900) poeta, contista e dramaturgo irlandês


Os mentirosos não ganham senão uma coisa: é não serem acreditados mesmo quando dizem a verdade.

- Esopo (Frigia 620 a.C. – Idem 560 a C.) fabulista grego


A vaidade é a mais universal das características humanas.

- Millôr Fernandes (Rio de Janeiro 1924) poeta, dramaturgo, jornalista e humorista fluminense


Os fundamentos da moral são como todos os fundamentos: aprofundados em demasia, toda a superestrutura vem abaixo.

- Samuel Butler (Langar 1600 – Londres 1680) romancista e filósofo inglês




terça-feira, 3 de novembro de 2009

PAISAGEM AMAZÔNICA E OUTRAS PAISAGENS

Acabei de lançar pelo Clube dos Autores o meu livro de poesias “Paisagem Amazônica e Outras Paisagens” 129 páginas, formato 21 x 14 cm, cujo prefácio transcrevo abaixo:

AS EXUBERANTES PAISAGENS AMAZÔNICAS

A Amazônia, uma das regiões mais exuberantes do Brasil, merece se tratada com toda a atenção, tanto por parte do Governo quanto da sociedade, visto a sua peculiaridade. A cultura amazônica, bem como a sua fauna e flora, têm de ser preservadas a todo custo, pois a ganância de pessoas interessadas apenas em suas riquezas naturais está à solta espreitando para que, sem o menor escrúpulo, seja arrasada o que vem acontecendo ao longo dos anos. Este livro dividido em quatro partes (Caderno de Sonetos, Poemas à Mão Livre, Libélulas Rubras e Linhas Barroquianas) leva o leitor a uma reflexão sobre essa região. O poeta, a cada poema, vai pintando, como num quadro, igarapés, igapós, pássaros, pores-do-sol, ribeirinhos, madrugadas, manhãs, povoados, enfim os elementos que formam esse fantástico pedaço do Brasil.

Tenho plena certeza que você vai gostar muitíssimo deste livro e ficaria feliz se você o adquirisse. O livro tem um custo prosaico, e pode ser adquirido pelo site http://clubedeautores.com.br/book/7517--Paisagem_Amazonica

ou solicitando através do e-mail efraimpinheiro@funtelpa.com.br ou ainda pelos telefones 4005.7734 ou 8128.0846.


Abraços,

Enzo Carlo Barrocco