quarta-feira, 23 de setembro de 2009

DA LAVRA POÉTICA DE ADELMAR TAVARES


VELA BRANCA


ADELMAR TAVARES

(Recife 1888 – Rio de Janeiro 1963)


Vela branca, vela branca,
que vais lá longe... no mar...
quem me dera, vela branca,
que me quisesses levar
para tão longe... tão longe,
que eu não pudesse voltar...

Mas uma vez, vela branca,
que não me queres levar,
para tão longe... tão longe...
que eu não pudesse voltar,
leva-me a saudade dela
para o mais fundo do mar.


sexta-feira, 18 de setembro de 2009

A PRIMAVERA QUE AQUI ESTEVE


Enzo Carlo Barrocco




O vento inconscientemente carregou
a primavera que aqui esteve,
agora temos que suportar
a cara feia do tempo.

Não digo que tenha sido
uma primavera clássica,
mas as flores que trazias sempre
denotava essa belíssima estação.

A floricultura não existe mais;
portanto, voltemos ao verão causticante
e ao inverno interminável
que temos por aqui.


terça-feira, 15 de setembro de 2009

A TENDA DOS BLOGUEIROS - NÃO LEIA


UM CLÁSSICO!

Finalmente, com 46 anos de atraso, chega ao Brasil O planeta dos macacos, de Pierre Boulle, romance francês de ficção científica que inspirou o filme homônimo, de 1967. Adeptos, cultores e outros aproveitem! A edição, pela Agir, integra a coleção Pocket Ouro, série Grandes Filmes, a preço relativamente módico. Quem não se lembra da cena em que Taylor, a cavalo, com a bela Nova na garupa, na praia, avista de repente a Estátua da Liberdade tombada e destroçada? Segundo Nelson de Oliveira: "Um clássico!"

Mayrant Gallo


http://nonleia.blogspot.com/



segunda-feira, 14 de setembro de 2009

O DIÁRIO DOS PENSADOREDS - PÁGINA 41


A droga que melhor altera a mente é a verdade.

- Lily Tomlin (Detroit 1939) atriz americana


A forca é o mais desagradável dos instrumentos de corda.

- Apparicio Torelly, o Barão de Itararé (Rio Grande 1895 – Rio de Janeiro 1971) jornalista e humorista gaúcho


A fome não tem nacionalidade: a abundância, tampouco, deve temê-la.

- Harry S. Truman (Lamar 1884 – kansas City 1972) político e ex-presidente americano


O pobre Adão caiu porque não teve mãe, não foi menino.

- Miguel de Unamuno (Bilbao 1864 – Salamanca 1936) ensaísta, romancista, poeta e filósofo espanhol


Certo prazer existente na tristeza é mais doce do que o prazer do prazer.

- Percy Bysshe Shelley (Field Place 1792 – Em um naufrágio no Golfo de La Spezia em Viareggio, Itália 1822) poeta inglês


Sou uma pessoa profundamente superficial.

- Andy Warhol (Pittsburgh 1928 – Nova York 1987) artista plástico americano


A liberdade, quando começa a criar raízes, é uma planta de crescimento rápido.

-George Washington (Westmoreland County 1732 - Monte Vernon 1799) político e ex-presidente americano


Quem tem fome tem pressa

- Herbert José de Souza, o Betinho (Bocaiúva 1935 – Rio de Janeiro 1997) sociólogo e ativista político mineiro


Alguma coisa misteriosa nesse universo é cúmplice dos que amam o bem.

- Simone Weil (Paris 1909 – Ashford, Inglaterra 1943) filósofa e política francesa


A última cena é sempre trágica, pouco importa quão felizes tenham sido as outras: um pouco de terra é jogada por cima de nossa cabeça e é o fim para todo o sempre.

- Blaise Pascal (Clermont 1623 – Paris 1662) filósofo, matemático, físico, teólogo e ensaísta francês


Quando a riqueza cai nas mãos de homens fracos, sem consciência de paixões desregradas, não é, senão, uma tentação e uma cilada.

- Samuel Smiles (Haddington 1812 – Londres 1904) ensaísta e reformista social escocês


A pior coisa dos livros novos é que eles nos impedem de ler os antigos.

- Joseph Joubert (Montignac 1754 - Villeneuve-sur-Yonne 1824) ensaísta francês




sexta-feira, 11 de setembro de 2009

CANTATA


Enzo Carlo Barrocco





A lua acende a noite

que, por sua vez, se acendeu ao sol.

Espera as estrelas tomarem posição.

Somente os grilos e outros

poucos animais da noite

trarão desassossego

ao silêncio e à brisa.


Pois bem!

Aproveita se teu sono é justo,

que o homem honesto não

se fabrica em série.

A lua sobe,

a cantata dos galos se aproxima.


quarta-feira, 9 de setembro de 2009

DA LAVRA POÉTICA DE ADELINO FONTOURA


CELESTE



Adelino Fontoura
(Axixá, Maranhão 1859 - Lisboa 1884)

É tão divina a angélica aparência

e a graça que ilumina o rosto dela,

que eu concebera o tipo de inocência

nessa criança imaculada e bela.


Peregrina do céu, pálida estrela,

exilada na etérea transparência,

sua origem não pode ser aquela

da nossa triste e mísera existência.


Tem a celeste e ingênua formosura

e a luminosa auréola sacrossanta

de uma visão do céu, cândida e pura.


E quando os olhos para o céu levanta,

inundados de mística doçura,

nem parece mulher - parece santa.



terça-feira, 8 de setembro de 2009

AUTOCONFIANÇA


Miniconto


por Enzo Carlo Barrocco




Enfiou-se entre dois ônibus emparelhados na avenida Lauro Penedo. Na saída do corredor mortal, viu pelo retrovisor da moto, os dois veículos abalroarem-se. Um cachorro, assustadíssimo, fugia desesperadamente pelo canteiro central.


quinta-feira, 3 de setembro de 2009

A TENDA DOS BLOGUEIROS - NILTO MACIEL E LITERATURA

Haicais de Valéria Nogueira Eik

Nas horas tardias

uivos de lobos ecoam.

Cordeiros vigiam.

*

Do alto da torre

uma coruja espreita:

prelúdio mortal.

*

O sapo do brejo,

em pose de majestade

engole os tolos.

*

Bebem seiva rubra

os vampiros amorais.

Defecam decretos.

*

Pedaços de céu,

no balançar dessa rede:

paiol estelar.

*

Um risco no céu.

A estrela se desfaz

num sonho sutil.

*

Os ventos de junho

cingem as folhas cansadas.

Aves outonais


*******

Do Blog do Nilto Maciel

http://niltomaciel.blog.uol.com.br/

quarta-feira, 2 de setembro de 2009

ATIRADOR DE ELITE


Miniconto


por Enzo Carlo Barrocco





- Pergunte a ela! – sugeriu o vendedor.

“Que mulher bonita!” – pensei comigo.

Não perguntei nada, mas como sou atirador de elite, uma semana depois a levei a um motel barato.