sexta-feira, 28 de novembro de 2008

A OUTRA TEMPESTADE


Enzo Carlo Barrocco




(A Rodrigues Pinajé)

A dor e o dia dividindo a dúvida,
polindo o tempo, parda pedra/sempre,
luz e lábios loucamente lembrem
a tez, o ventre, a semente túmida.

Sobre a solidão sussurrante anseia
o gozo, o sangue; o orgasmo flagra
a música/manhã, calmo mar; amarga
boca e boca, carne e carne: ceia.

Sibilam ébrias sombras à penumbra,
sêmem-saliva assoma sobre o sexo,
línguas, limos, a lascivez alumbra...

Arde a rua, risos estridentes,
fulva flor, enfim, feliz se inflama
e tudo se termina a tara e a trama.



JIRAU DIVERSO Nº 33

JIRAU DIVERSO

Nº 33 outubro..2008

por Enzo Carlo Barrocco



A POESIA PIAUIENSE DE MARCOS FREITAS



O POEMA



NENHUMA CARTA EM MEU NOME

de soslaio

a memória de teu rosto

cravado na rocha da ausência: fotografia.


o vento quente sopra a cor do esquecimento:

sombria melancolia do dia-a-dia.


tentei entender teu nome e nossos minutos

como se houvera fruta na fruteira

de minha existência.


o domingo desabitado fareja o ronco do motor

de meu carro empoeirado.


nada, nada além de silêncio e pó.

há mais de um ano, nenhuma carta em meu nome.


O POETA


Marcos Airton de Sousa Freitas, piauiense de Teresina, poeta e contista, no convés da fragata desde 1963, é um atuante poeta radicado em Brasília e que já participou de várias antologias. Marcos é ativo participante de concursos literários onde, vez por outra, tem arrebatado as primeiras colocações, fruto de sua condição de exímio operário das letras. Marcos Freitas é verbete no “Dicionário Biográfico Virtual de Escritores Piauienses”, 2004.



ESTANTE DE ACRÍLICO


Livros Sugestionáveis


Contos Amazônicos

Autor: Inglês de Sousa

Edição: Martin Claret Editora


A obra-prima de Inglês de Sousa condensada nestes nove contos ambientados na região do baixo-amazonas paraense do Século 19. Não passe pela vida sem ler este maravilhoso trabalho.


Lutero E a Igreja do Pecado (Ensaio)

Autor: Fernando Jorge

Edição: Novo Século


Uma biografia do reformador Martinho Lutero, o homem que, apesar de certas atitudes, teve a coragem de afrontar a Igreja Católica à época da inquisição.


Eram sete os Desertores (Romance)

Autor: Manoel Cardoso

Edição: Scortecci Editora


Cardoso nos mostra através da sua escrita o valor da liberdade e o preço que se tem de pagar por ela. Um excelente trabalho literário.


***


A FRASE DI/VERSA


Amazônia, se depende de ti o oxigênio do mundo, que as futuras gerações aprendam a respirar oxigênio em lata.

- Orlando Carneiro (Belém 1945) contista, novelista, romancista e cronista paraense


DA LAVRA MINHA


LINHAS BARROQUIANAS - Poemas de um verso só.
N° 3


Enzo Carlo Barrocco


ROÇAS DE NOVEMBRO

Vento nos aceiros – cinzas das queimadas


CONGESTIONAMENTO

Calor e incômodo: ônibus lotado


ANTEMANHÃ

A lua veio tarde sobre as casas simples.


SEX AFTER

Maria é linda nua; roupas pela cômoda.


MARINA

Barcos nos trapiches, então que venha o sol.


terça-feira, 25 de novembro de 2008

HAI-KAIS - 11º TERCETO

Enzo Carlo Barrocco


A manhã fechada,

água fervente. A chaleira

no fogão à lenha.


**


Uma chuva à tarde

cai sobre matos e casas -

vem anoitecendo


**


Vento e milharal,

o dia prossegue aberto -

uns quatro pardais.



GILBERTO GIL E A MÚSICA NO JIRAU

Resenha

por Enzo Carlo Barrocco



Título: Quanta Gente Veio Ver

Intérprete: Gilberto Gil
Gravadora: Warner Music


Quanta Gente Veio Ver reafirma o papel fundamental de Gil no processo de constante atualização da MPB. Bob Marley sempre foi uma figura constante nos trabalhos do baiano e não foge a essa aspecto neste álbum que, sem dúvida, é um dos melhores na carreira do cantor. “Quanta” ganhou, simplesmente, em 1999, o prêmio Grammy Awards. Esse CD foi produzido pelo próprio Gil, com direção artística de Paulo Junqueiro e foi gravado ao vivo no Teatro João Caetano, no Rio. O álbum traz canções novas, assim como diversas regravações, tais como: Palco, Refavela, Quanta, Estrela, Pela Internet, Cérebro Eletrônico, Opachorô, De Ouro e Marfim, todas de Gil; Is This Love e Stir it Up, de Bob Marley; Vendedor de Caranguejo, de Gordurinha; A Novidade, de Gil, Herbert Viana, Bi Ribeiro e João Barone; O Gandhi, de Antônio do Caixão. Mais três faixa bônus completam o trabalho: Doce de Carnaval e Lamento de Carnaval , músicas do próprio Gil e Pretinha, de Gil, Kátia Falcão e João Donato. Um CD muito bem feito com a marca registrada de Gilberto Gil e sua banda.



segunda-feira, 24 de novembro de 2008

UMA FLOR DE LIS / PECTOR


Clarice Lispector
(Tchetchelnik 1925 - Rio de Janeiro 1977)
Contista, romancista, cronista e jornalista brasileira nascida na Ucrânia

MENINO

- Mamãe, vi um filhote de furacão, mas tão filhotinho ainda, tão pequeno ainda, que só fazia mesmo era rodar bem de leve umas três folhinhas na esquina.

(Publicado no Jornal do Brasil em 09 de maio de 1970)


sexta-feira, 21 de novembro de 2008

SAUDADES DA MINHA ALDEIA


Enzo Carlo Barrocco




Excelente tempo

nesta praia,

aldeões sob as sombras dos jambeiros

e suas redes de pesca.


Tarrafas num varal,

areia e vento e silêncio,

alguns meninos chegam da escola;

quaradouros de ajirus.


Pequenas casas, palafitas,

mulheres nos jiraus.

Paisagem branca.

Sol e mar.



quinta-feira, 20 de novembro de 2008

A TENDA DOS BLOGUEIROS - E CINCO ESPINHOS SÃO EM NOSSAS MÃOS

GARIMPO SEMANAL

Apartheid Soneto




Autor: Avelino de Araújo


DO BLOGUE DA PRISCILA LOPES E DA ALINE GALLINA

http://cincoespinhos.blogspot.com/


quarta-feira, 19 de novembro de 2008

LUAS IMAGINÁRIAS

Enzo Carlo Barrocco




Duas luas imaginárias:

os teus olhos que não compreendo;

finjo que não te vejo,

finges que não estás me vendo.


Sinto que me notas

por baixo dos cílios, furtivamente,

teu vestido é muito mais belo

que um sol poente.


Segue a tarde, um sol meio baixo,

é bela a tua sombra esguia,

pelos beirais das casas simples

vai fugindo o dia.



segunda-feira, 17 de novembro de 2008

FALO MELHOR QUANDO FALO DE PÁSSAROS


Enzo Carlo Barrocco






Falo melhor quando falo de pássaros,

pois no entardecer

renascem projetos

de novos vôos.


O crepúsculo vem em seguida

trazendo lindo pássaros,

luz essencial para os

meus olhos.


O horizonte se enche de beleza;

um poema nascido

ao acaso;

falo melhor quando falo de pássaros.



sexta-feira, 14 de novembro de 2008

LIBÉLULAS RUBRAS - 10ª TRÍADE


SINARA

Sinara à porta,
braços cruzados, apoiada numa perna só;
de repente entra à casa,
vozes no caminho.
Ah, Sinara - linda e acanhada -
mulher que não existe mais!


HIPÓTESE

Quando Cabral descobriu
o Brasil ninguém acreditou,
nem mesmo eu;
se aquela esquadra não houvesse chegado
eu seria um velho Mundurucu
e tu, certamente, uma encarquilhada Kaiapó.


LEMBRANÇAS

Minha mãe me batia
com o cinto largo de meu pai.
Lembro isso
não que eu quisesse apanhar novamente;
mas, saudades daqueles olhos azuis,
dois pequenos e inigualáveis céus.

quinta-feira, 13 de novembro de 2008

RONALD CLAVER: O POETA DE BELÔ


Ronald Claver
Belo Horizonte 1946
Poeta, contista e ensaísta mineiro



AS MARGENS

Ah, rio de esperadas margens
De coloridas águas
De imprevistas mágoas

Ah, rio meu de braços frágeis
De feminina forma, se afogando
No vazio de teus peixes

Ah pobre rio sem sementes
Os anzóis não mais te visitam
O povo não come em tuas águas
As multinacionais deixaram em ti
águas turbulentas, criminosas,
águas que não afluem, não somam
Águas que subtraem
E as dragas
Vão dragando o que resta de ti
- As pedras



terça-feira, 11 de novembro de 2008

HAI-KAIS - 10º TERCETO

Enzo Carlo Barrocco


Algumas jacintas
pousam nos fios dos varais -
jambeiros e sol.

***

Balde emborcado
por sobre a tampa do poço;
a largatixa espia.

***

Caminhos molhados,
um vôo de pássaro arisco -
passou a chuva.

segunda-feira, 10 de novembro de 2008

A LANTERNA DOS LUMIÈRE: JET LI É O MESTRE DAS ARMAS

Resenha

por Enzo Carlo Barrocco


A vida agitada de Huo Yuanjia






O Mestre da Armas (Huo Yuanjia), Ação, China/Hong Kong/EUA, 2006, 103 min. Direção: Ronny Yu. Com: Jet Li, Jon T. Benn, Collin Chou, Anthony De Longis, Masato Harada, Nathan Jones, Mike Leeder, Jean Claude Leuyer, Shido Nakamura, Hee Ching Paw, Ian Powers, Yun Qu, Li Sun, Brandon Rhea, Yong Dong.


Jet Li, o digno sucessor de Bruce Lee, presenteia o seu público com este filme sensacional que é um dos seus melhores trabalhos. Baseado na vida do mais famoso lutador da China do século passado, Huo Yuanjia (Xiaonan 1869 – Xangai 1910) e que foi fundador da escola de artes marciais Jingwu. Portanto, baseado em fatos reais, o filme nos mostra de que maneira Yuanjia lutou para reprimir a tentativa de invasão dos estrangeiros à China do início do século XX. Antes disso, entre os plantadores de arroz, teve que aprender a humildade, ao mesmo tempo em que conhece uma jovem cega que o toca profundamente. O filme é recheado de lutas marciais que foram coreografadas por Yuen Wo Ping, experimentadíssimo profissional, em Hollywood há bastante tempo. As encenações das lutas são de uma perfeição inacreditável e a atuação de Li surpreende, em vista de outros filmes em que ele atuou. Até quem não é fã do gênero certamente irá gostar de assistir.



sexta-feira, 7 de novembro de 2008

BORBOLETÁRIO


Enzo Carlo Barrocco




Borboletinhas todas verdinhas,
do outro lado
borboletas médias sobre as dálias,
as açucenas e outras flores;
grandes olhos nas asas enormes
de outras maiores.

O vôo instável de uma ponta a outra
de mais duas belas e amarelinhas.
Alegre, vivo, interessante, vário
o espaço mágico do borboletário.



quarta-feira, 5 de novembro de 2008

PÁSSAROS DO ANOURÁ - Poetrix - 14ª Tríade

Enzo Carlo Barrocco



CANTEIROS


Flores nos canteiros,

teus olhos surgem na tarde

calmos e trigueiros.



POETA


Mil e poucos pássaros

pousam nos meus dedos sujos

de limos a tártaros.



ARIRAMBA


O sol descamba

por trás do dorso salobro

flavo do Ariramba.



terça-feira, 4 de novembro de 2008

RODRIGO GARCIA LOPES: O POETA DA ILHA


Rodrigo Garcia Lopes
(
Londrina 1965)
Poeta e jornalista paranaense


Seu corpo é uma praia deserta

Seu corpo é uma praia deserta
onde uma música desperta
numa onda esperta e a deserda:
espumas a ferem como pétalas.

Desterra, em tradução infinita,
pérolas na orla do olhar, ilha
que ainda está por ser escrita.


segunda-feira, 3 de novembro de 2008

O DIÁRIO DOS PENSADORES - PÁGINA 32


A imaginação transporta-nos, com freqüência, a mundos que nunca

existiram, mas sem ela não vamos a parte nenhuma.

- Carl Sagan (Nova York 1934 - Seattle 1996) astrônomo americano

O homem é o lobo do homem.

- Plautus (Úmbria 254 – Roma 184 a C.) dramaturgo romano


Os perfumes alegram os sonhos.

- Plutarco (Queronéia 46 – Idem 120) historiador romano


A democracia não pode ser estática: tudo o que está estático está morto.

- Anna Eleanor Roosevelt (Nova York 1884 – Idem 1962) ex-primeira-dama americana, diplomata, reformista e líder humanitária


Ou todos nos locupletamos ou restaure-se a moralidade.

- Sérgio Porto, o Stanlislaw Ponte Preta (Rio de Janeiro 1923 – Idem 1968) cronista e humorista fluminense


A morte é uma silenciosa companheira.

- Enzo Carlo Barrocco (Tracuateua 1960) poeta, contista e pesquisador literário paraense


No Brasil temos virtude privada e vício público.

- Renato Janine Ribeiro (Araçatuba 1949) filósofo e ensaísta paulista


Habitualmente detestamos o que nos é semelhante e nossos próprios defeitos, vistos de fora, nos exasperam.

- Marcel Proust (Paris 1871 – Idem 1922) romancista francês


A gente nasce e morre só. E talvez por isso mesmo é que se precisa tanto de viver acompanhado.

- Raquel de Queiroz (Fortaleza 1910 – Rio de Janeiro 2003) romancista, dramaturga e cronista cearense


Em cada momento o que em cada momento é necessário.

- José Marti (Havana 1853 – Dos Rios 1895) poeta, ensaísta e jornalista cubano


A melhor maneira de te vingares de um teu inimigo é dar de presente uma corneta ao filhinho dele.

- Mário Quintana (Alegrete 1906 – Porto Alegre 1994) poeta, contista e jornalista gaúcho