quinta-feira, 31 de julho de 2008

NEIDE ARCHANJO: A ATIVISTA CULTURAL


NEIDE ARCHANJO
(São Paulo 1940)
Poeta paulista

Fragmento

no que sonho ou cavo
no que me falha ou cinde
existe um brilho
que não alcanço.
Ainda.

quarta-feira, 9 de julho de 2008

REVÔO DE BEIJA-FLORES - MICROTROVAS - REVÔO Nº 03

A MINHA MÃE
Branca
alma,
calma,
franca.


TELA DE MONET
Flores,
loucas
bocas:
cores.


MICROTROVA PARA A PRÓXIMA AMANTE
Negra
Neusa;
deusa
grega.


BRAGANÇA
Eu: a
ju
ru
teua.


CASAMENTO
Caso, a-
caso
caso: a-
traso.

LAVRA

Trago aqui
uns poemas ordinários
no recôncavo das mãos,
visto a dificuldade da empreita,
sobretudo as insípidas palavras

E nos brancos eitos da minha lavoura,
sintáticos arados,
uns papéis escritos ontem,
poderás, sob estes sóis vocálicos,
colhê-los acaso depará-los.

CAJUÚNA

Imersa lua
nas águas de Cajuúna,
lua minha, intransferível e única
sobre a brisa atlântica.

Vem aqui uma ave branca
e olha
e pousa sobre os versos poucos.
O poema lambe o dorso do tempo;
o poema é agora,
mudo e tranqüilo entre o mar e
meus olhos.